Série: My Mad Fat Diary

Título:  My Mad Fat Diary

Roteirista: Tom Bidwell

Elenco: Sharon Rooney (Rachel – Rae Earl); Nico Mirallegro (Finn Nelson); Jodie Comer (Chloe Gemell); Dan Cohen (Archie);  Jordan Murphy (Arnold Peter – Chop); Ciara Baxendale (Izzy); Ian Hart (Dr. Kester)

Número de temporadas: 2

Número de episódios: 13

Sinopse: 

A série é baseada no livro “My Fat, Teenager Diary”, escrito por Rae Earl (semelhança com o nome da personagem principal não é coincidência).

Desenrolada em Lincolnshire em 1996, a série conta-nos a vida de Rae Earl, uma jovem obesa com 16 anos que enfrenta uma vida cheia de rejeições vindas do seu psicológico. Recém saída de um hospital psiquiátrico onde passou quatro meses longe de tudo e todos, internada após tentativa de suicídio. Ao sair reencontra sua ex melhor amiga Chloe, que não mantinha contato, por tanto, não sabia dos problemas de saúde mental da amiga. Chloe a apresenta a turma, que acolhe Rae à sua maneira. Sem a perda do humor e cativando-nos cada vez mais Rae tem um objetivo, perder a virgindade.

Minha visão: 

Tentando achar uma misera palavra que descreva meus sentimentos… Ok, é impossível. Quando eu comecei a série não esperava tanto, só um pouco de drama aqui, ali, e fechou, mais uma série cortada da lista de outras milhões a ver, porém, a paradinha começava a ficar séria.

Me identifiquei muuito com a Rae e, já passei por muitas situação como a falta de auto estima, mas mostrando ser forte, tendo de lidar com o bullying também. Antes mesmo de entender a Rae o relacionamento dela com a mãe, sempre conturbado, chega a ser normal, para mim pelo menos, ser adolescente ter opiniões divergentes do adulto, eu conheço bem essa realidade. Porém a mãe de Rae é uma peça, adoro as cenas que as envolve, são ilarias e reais, é reconfortante ver as duas diferentes personalidades juntas, retratando o relacionamento de mãe e filha bem profundo.
Voltando a Rae, ela tem tendências a depressão a se auto ferir, pois não “admite” ser assim, diferente. Um assunto muito bem trabalhado, até porque adolescentes tem tendências a depressão, pela sociedade, hormônios, vários outros fatores. Depois de sair do hospital com uma ajuda, santa ajuda! Quero um terapeuta tão legal quanto, Kester seu terapeuta, um cara engraçado meu personagem preferido alias, consegue expor momentos mais deprês e leves na série, o modo com que ele vai lidando com os problemas de Rae e os resolvendo ao mesmo tempo, vamos aprendendo a cada sessão de terapia que, “amar a si mesmo é a primeira coisa a se fazer antes de amar ao outro”.

vou começar a chorar logo com tanto amor por esse homem.

A história vai se encaixando a cada episódio, que, pelo amor de deus, 6 por temporada! Não! Deveria ser pelo menos 15, mas, ok. Até por quê o que adianta ser cheia de episódios e nenhuma mensagem, né?!

Logo após de sair do hospital, isso ainda no primeiro episódio (e não é spoiler!), Rae reencontra Chloe, que no momento estava indo a um pub com seus amigos. Por algum motivo, não sei qual, mas acho que pena, a chama para acompanha-los e Rae aceita, super linda. Chegado ao bar novos personagens aparecem e, sim minha gente, aparece um garoto maravilhoso parte da turma de Chloe, meu queridinho, Archie produção pode colocar corações aqui? Ele é todo quietinho, aquela carinha de nerd sabe, um amor, da vontade de levar para casa e colocar na estante de tão fofo. Desculpa, vocês irão se apaixonar por ele, e não serei culpada disso haha.

Tem também a Izzy sendo fofa a cada segundo, não tira o sorriso do rosto e a cada aparição dela as cenas rapidamente ficam mais leves e toda hippie, ela não é aquele tipo de personagem que de tão positivo você fica com raiva, ela é apaixonante, sério. O Chop aparece logo ao lado dela, um cara que bebe muito, sim eu percebi, é o engraçado do grupo, ele é bem doido, daquele tipo de amigo insano haha. E por fim temos o mistério do Finn, rimou. As primeiras impressões são horríveis, ele é chato, tedioso e a Rae chega a detesta-lo, irônico esse fato. Nos primeiros episódios Rae acaba se aproximando de Archie, a ponto de… Realmente não quero dar spoilers, então acho que vou terminando por aqui. Essa é a gang, vocês irão se apaixonar por cada um deles.

Essa foi minha visão de my mad fat diary bem resumida, ficaria horas fácil escrevendo, mas não quero dar spoilers e acabaria fazendo isso haha. Minha intenção é realmente fazer vocês irem assistir esse espetáculo de atuação e emoção. Preparem os lenços, lágrimas irão rolar. 

Ficaria muito grata se deixassem opiniões e dicas, qualquer coisa a respeito desse texto.

Valeu gente, espero que tenham gostado. 

Agora podem ir caçando o primeiro episódio, não iram se arrepender. Juro! 

Anúncios

7 comentários sobre “Série: My Mad Fat Diary

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s