FILME: Whiplash – Em Busca da Perfeição

Título Original: Whiplash

Ano: 2014

Diretor: Damien Chazelle

Elenco: Miles Teller, J.K. Simmons

Sinopse

O solitário Andrew (Miles Teller) é um jovem baterista que sonha em ser o melhor de sua geração e marcar seu nome na música americana como fez Buddy Rich, seu maior ídolo na bateria. Após chamar a atenção do reverenciado e impiedoso mestre do jazz Terence Fletcher (J. K. Simmons), Andrew entra para a orquestra principal do conservatório de Shaffer, a melhor escola de música dos Estados Unidos. Entretanto, a convivência com o abusivo maestro fará Andrew transformar seu sonho em obsessão, fazendo de tudo para chegar a um novo nível como músico, mesmo que isso coloque em risco seus relacionamentos com sua namorada e sua saúde física e mental.

Minha Opinião

Olha, pessoas, não esperem aquelas ‘críticas’ maravilhosas, falando sobre vários termos técnicos e etc só por que eu quero fazer audiovisual. Admito que não entendo muito disso, por isso quero fazer faculdade, para entender. E ok, existe pessoas que não fizeram o curso mas entendem, bom pra elas. Então, isso é só pra deixar claro que não vou ficar fingindo que sei. Então aqui vai uma opinião bem simples sobre um filme bem massa.

Eu queria falar de algum dos 8 indicados ao Oscar de melhor filme, não sei por que eu escolhi esse, mas ok, vamos lá

Damien Chazelle é um diretor novo (realmente, o cara tem 30 anos), porém ele já fez um ótimo trabalho nesse filme. Há várias cenas em que Andrew está praticando ou que ele está na aula e essas cenas são muito agoniantes, porque ele chega a um ponto em que fica obcecado em atingir a perfeição, e o modo como essas cenas são filmadas te passa toda essa agonia, você entra no momento ali, achei demais isso.

Enfim, vi em muitos lugares falando que o filme é para amantes da música e afins. Bom, talvez, não vou dizer que não acho, pois gosto de quase todos os tipos de filme. Mas o filme realmente é bom. As sequências de baterias junto com como foi filmada te deixam completamente no clima daquela parte, as atuações estão ótimas, achei muito merecido o Oscar do J.K. Simmons, o cara é demais. Porém, nos lugares onde li sobre o filme, quase não comentam sobre a atuação do Miles, que, sinceramente, foi ótima também, ele não se deixou ficar para trás em relação ao J.K., ele está realmente muito bom e crescendo.

O filme mostra a que ponto algumas pessoas chegam para conseguir o que querem e como, para algumas pessoas tipo o Andrew, isso ultrapassa qualquer coisa na vida dele e se torna puramente obsessão. O personagem não se importa com qualquer outra coisa na vida, apenas em tocar e ser o melhor para ele e, principalmente, para o seu professor. Ele quer que o professor escolha ele, que ele seja o melhor dos bateristas da orquestra… E do mundo também. Tem uma parte que vai ter uma apresentação da orquestra do conservatório em que o Andrew aluga um carro que mostra o quão longe ele vai para provar isso -só que, queridos, claro que não vou contar né-

O professor também é outro louco, ele é abusivo, nem um pouco amável, você fica com raiva dele, quando você pensa que vai perdoar ele, ele te mata de ódio de novo e depois o Andrew samba na cara dele -adoro- Mas, sério, o cara é louco, ele abusa dos alunos, ele diz várias coisas ofensivas e joga coisas nos alunos se eles fizerem algo errado, porque ele quer que os alunos dele sejam brilhantes. Ele comenta no filme que é assim pois se ficarmos sempre dizendo para as pessoas “bom trabalho”, mesmo quando não está bom assim, as pessoas simplesmente vão se conformar com isso e não vão tentar melhorar. Para ele “bom trabalho” é a pior coisa que você pode dizer para alguém. E, pessoas, tenho que concordar. Claro que não precisamos ser tão não amáveis igual o professor, mas não podemos sempre dizer “bom trabalho” para as pessoas, senão elas não vão descobrir qual o verdadeiro potencial delas. Temos que exigir mais, de uma forma mais legal, temos que dizer para eles, para nós, que podemos melhorar ainda. –Claro, também, que ninguém precisa ficar obcecado e literalmente dar o seu sangue, ok, não digam para os seus pais que a louca no blog mandou vocês ficarem obcecados com o que quer que vocês façam ou vão fazer só para atingirem a perfeição-

Enfim, eu acho que vale a pena vocês gastarem um tempinho da vida de vocês conferindo o filme, é um filme com ótimas atuações e muito bem dirigido e com uma sequência final ótima -talvez não para você, mas ok-

Aqui vai o trailer:

-Pessoas, sorry, eu tava super inspirada para falar sobre o filme ontem, tinha baixado o santo em mim, porém eu perdi todo o meu foco e minha inspiração, mas tentei escrever mesmo assim, então não ficou como eu queria, talvez eu tenha ficado meio repetitiva, esqueci de comentar algo ou etc. Me perdoem-

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s